Símbolo de fé, trabalho e esperança

Nilton Wolff

Símbolo de fé e esperança, a Igreja Nossa Senhora do Rosário também é prova do poder de trabalho e de recuperação da comunidade do Coral, já que o prédio atual é o segundo edificado no local. O primeiro foi consumido pelas chamas em 1990. Mas o bairro não foi o primeiro endereço da santa em Lages.

A imagem de Nossa Senhora do Rosário veio de Portugal e a primeira capela foi construída na Rua Correia Pinto, no Centro de Lages. Era frequentada por ex-escravos e as procissões em homenagem à santa eram feitas no mês de outubro. No ano de 1925, a capela foi demolida.

No ano de 1940, a imagem da Santa foi transferida para a Igreja dos Franciscanos, onde os mesmos atendiam. Em 1952, os padres Redentoristas, vindos de São Paulo, assumiram a capela, no Bairro Coral.

No dia 24 de maio de 1953, a mesma foi elevada à categoria de matriz. Em seguida, começaram as atividades pastorais. Logo depois, a igreja foi construída em madeira, na Avenida Luiz de Camões. Em 24 de novembro de 1990, um incêndio a destruiu. No ano de 1991, a Igreja foi reconstruída no mesmo lugar.

O primeiro Vigário foi o padre Carlos Fridolino Schleinkofer. Atualmente, servem a Paróquia, os padres Radamés (Administrador Paroquial) e Abílio (vigário).

A Paróquia Nossa Senhora do Rosário é composta por 16 comunidades na região Leste da cidade de Lages. Além da própria matriz, tem o Caravágio, Sagrado Coração de Jesus, Divino, São José, São Carlos, Passo Fundo, Imaculada, São Miguel, Penha, Itapoã, Nadir, Panorâmico, Mariza, Santa Paulina e Santo Afonso.


Igreja foi destruída em 1990 e uma nova foi edificada em 1991


Meta é criar calçadão e tabelionato

Ao completar 73 anos, o Coral tem vida própria e, na opinião do presidente do bairro, Moises Faraon, necessita de poucas melhorias. Dentre as metas apontadas por ele está a revitalização de parte da Avenida Luiz de Camões, onde seria implantado um calçadão e a instalação de um Tabelionato de Notas e Protestos, unidade que atenderia toda a região mais ao leste da cidade de Lages.

O bairro se tornou uma grande referência no setor comercial e de serviços, comportando uma significativa quantidade de casas comerciais. São 13 agências bancárias e de crédito, 05 supermercados, 14 farmácias, 20 lojas de comércio de veículos, um cartório de registro de imóveis, além de escritórios contábeis e de advocacia, que acabam por necessitar de serviços cartoriais," argumenta Moises, ao falar da necessidade em se implantar um Tabelionato de Notas e Protestos.

Ele comenta que o vereador Agnelo Miranda já fez moção neste sentido. Essa unidade, segundo o presidente do bairro, atenderia toda a região leste da cidade, que congrega o São Cristóvão, Sagrado Coração de Jesus, Guarujá, Tributo, Conta Dinheiro, Penha, São Miguel, Ponte Grande, Vila Mariza, São Sebastião, Bates, Jardim Panorâmico, Universitário, Popular, Ferrovia e Caravágio. A população estimada desses bairros é de 60 mil pessoas, ou um terço da população de Lages.

Outras bandeiras seriam a construção de um calçadão na Camões, obra que segundo o presidente já conta com emendas de parlamentares federais, e a criação de outro acesso para o Centro da cidade. O objetivo é reduzir o fluxo de veículos na Avenida Presidente Vargas, que congestiona nos horário de pico.


Moisés Faraon, presidente da Associação do Bairro Coral        Foto: Nilton Wolff



folhadaserra sim

Menu

Contatos

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina