Pecuária

Expolages 2020 termina com pista limpa no leilão de novilhas

O ano do novo normal ainda não encerrou o calendário de negócios do Sindicato Rural. Para o dia 23 de novembro, está previsto o último leilão, com a realização de uma feira de Gado Geral

Paulo Chagas/Sindicato Rural
Expolages 2020
Foto: Sindicato Rural

O quarto e último leilão realizado no sábado (17) teve total comercialização das 570 novilhas colocadas à apreciação de compradores de todas as regiões de Santa Catarina. Somente neste leilão, as vendas alcançaram R$ 1.694.000,00. O faturamento geral, no acumulado dos quatro leilões da semana, o volume comercial chegou aos R$ 3.282.000,00. Encerrou-se, assim, a Expolages histórica que marcou as comemorações do centenário das exposições. 

Conforme salientou o presidente do Sindicato e Associação Rural, Márcio Pamplona, após a última batida do martelo da Expolages 2020, foi uma missão um tanto pesada no início, exatamente pela responsabilidade de fazer uma feira em um novo formato. Porém, o sentimento foi de realização ao chegar no último dia do evento com todas as metas atingidas. "Amanhã começaremos a trabalhar a feira de 2021. Vamos nos vingar do coronavírus com a realização de um grande evento", prometeu.

Feira de Gado Geral em novembro

O ano do novo normal ainda não encerrou o calendário de negócios do Sindicato Rural. Para o dia 23 de novembro, está previsto o último leilão, com a realização de uma feira de Gado Geral. Desde já as inscrições estão abertas junto à sede da entidade, no Parque Conta Dinheiro.

Transmissão virtual dos leilões salvou o setor

O ano de 2020 era para ser uma Expolages diferente, especial, devido ao fechamento dos 100 anos da primeira comercialização em uma feira de animas no município de Lages, isso em 1920. Em paralelo, previa-se, também, uma grande exposição de parte da indústria e do comércio, em parceria com a Associação Empresarial de Lages (ACIL). Porém, a pandemia do novo coronavírus mudou os planos; e não permitiu a mostra da economia empresarial, e quase arruinou o evento, não fosse a adaptação do setor do agronegócio à tecnologia, com o domínio das transmissões virtuais dos leilões.

Os primeiros eventos para o setor, caso das feiras de terneiro e da terneira estavam para acontecer em abril. A alternativa das transmissões virtuais surgiu como opção, mas, antes, era preciso convencer as autoridades da saúde a liberarem os negócios. Na proposta, a ausência de público e a necessidade de se adequar aos protocolos. "Felizmente a proposição foi aprovada a tempo. Começava, então, o desafio de enfrentar o novo formato," ressaltou Pamplona.

Mesmo com bastante planejamento, no começo a adaptação não foi fácil, embora o sistema já tivesse sido utilizado em anos anteriores. A diferença é de que havia a segurança do comprador presente, sem a dependência das transmissões virtuais e que garantia boas vendas. Assim, conforme comentou o dirigente do Sindicato Rural, "entre erros e acertos, chegou-se ao domínio por completo do modelo virtual, e uma grande estrutura foi montada. O novo formato ampliou o leque de compradores, inclusive, de estados vizinhos. O alcance foi além do esperado, valorizando ainda mais a qualidade dos animais produzidos na Região. O sistema, agora, será mantido para sempre".

Por Assessoria de Imprensa


Imagens


folhadaserra2

Menu

Contatos

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina